ANÁLISE DE RISCO PARA ESPÉCIES EXÓTICAS

Análise de risco é um tema em desenvolvimento que pode ajudar a reduzir o número de espécies que podem se tornar invasoras antes que entrem numa área ou num pais. Fundamenta-se em estimativas quantitativas da probabilidade e da magnitude dos impactos que podem causar a ambientes naturais e à biodiversidade, partindo de informação biológica e ecológica, da origem geográfica das espécies e em seus históricos de invasão em outros lugares. Essa informação é usada para o desenvolvimento desses sistemas para predizer o potencial de invasão das espécies, o potencial de impacto e a distribuição geográfica na(s) área(s) de introdução (Groves, R. H.; Panetta, F. D.; Virtue, J. G., 2001).

Os protocolos de análise de risco são questionários pontuados que buscam identificar características indicadoras do potencial de invasão das espécies em análise. Diferentes modelos estão disponíveis, sendo os mais conceituados desenvolvidos na Nova Zelândia e na Austrália. O Instituto Hórus e parceiros ajustaram esses protocolos a condições da América Latina, fazendo pequenas mudanças em perguntas principalmente com referência a ilhas oceânicas e a áreas geográficas mais restritas. Esses protocolos podem ser ajustados a condições geográficas específicas sempre que necessário.

São reconhecidas duas aplicações para os sistemas de análise de risco: (a) para avaliar solicitações de introdução de novas espécies a um país, estado ou área; (b) para avaliar o potencial de invasão e dano de espécies já existentes e fundamentar o estabelecimento de prioridades para ações de controle ou de prevenção. Em ambos os casos, a análise é feita da mesma forma.

Esses protocolos foram aplicados a espécies exóticas no Brasil. Os resultados estão disponíveis na Base de Dados Nacional de Espécies Exóticas Invasoras da I3N neste website (seção sobre Manejo). Os protocolos com perguntas e respostas estão disponíveis nesta seção, ordenados por grupo.

Plantas - protocolo Instituto Hórus / Proflor (ESTE É O PROTOCOLO ATUALMENTE EM USO)

Plantasprotocolo da I3N / Universidad Nacional del Sur - Argentina / Instituto Hórus (Não mais usado)

Vertebrados terrestres - Instituto Hórus / Cinco Reinos

Peixes - Instituto Hórus / Cinco Reinos

Se você tem interesse nas ferramentas de análise de risco, por favor entre em contato conosco.

Voltar